• messenger
  • Perguntas e Respostas
  • Contactenos
  • Pesquisar
Close

SOTOZEN-NET > Biblioteca > Pequenas Histórias Zen > DUAS LUAS

DUAS LUAS

Um dia enquanto eu estava descansando num quarto do departamento de publicação, localizado ao lado de uma estrada, ouvi vozes de algumas pessoas que subiam lentamente o monte. Sem prestar maior atenção, eu acabei ouvindo o seguinte:

"Este é um dos dois templos matrizes da Escola Soto Zen. O outro templo chama-se Eiheiji, que está localizado na província de Fukui."

Ao imaginar quem falava, eu me inclinei sobre a cerca e olhei. Era o Sr. M., que administra uma loja próxima ao portão do templo. Ele conduzia um grupo de visitantes que parecia ter vindo de muito longe.

Um dos visitantes perguntou: "Bem, por quê é que uma escola tem dois templos matrizes?"

A isto o Sr. M. respondeu: "Veja. É o mesmo que um lar tendo um pai e uma mãe. Eiheiji é o pai, e esta é a mãe..."

Visitante: "Bem, qual é o mais poderoso?"

"É a mãe", Sr. M. respondeu com satisfação.

"É um homem pequeno com uma grande esposa então, não é? O que é este edifício bem aqui? "perguntou o visitante, enquanto apontava para o edifício de educação física da Faculdade Tsurumi.

Sr. M.: "Bem, o que quer que seja, esta é uma mulher de muita fibra, que administra uma faculdade somente para mulheres. O lema do fundador era "tenham bebês e cresçam", e através disto criou-se uma grande religião."

Visitante: "Quem foi o fundador?"

Sr. M.: "Keizan Zenji."

Visitante: "Eu ouvi sobre Dogen-san, mas nunca ouvi sobre Keizan-san."

Sr. M.: "É isso mesmo. As mães nunca são famosas. E isso é que é bom..."

O trecho acima é somente parte da conversa que ouvi. Eu fiquei muito impressionado e pensei em quão verdadeira ela era. O monge que trabalhava com Keizan Zenji para fundar o templo Sojiji, e em estabelecer a base sobre a qual a Escola Soto floresce hoje em dia, foi Gasan Zenji.

Gasan saiu de casa e ingressou no sacerdócio no monte Hiei, na idade de dezesseis anos. Por oito anos ele estudou budismo e particularmente a doutrina da Escola Tendai, em que ele aperfeiçoou-se. Contudo, ao perceber que a verdadeira paz espiritual não podia ser alcançada através de budismo acadêmico, Gasan deixou o monte Hiei, tornou-se discípulo de Keizan Zenji, e devotou-se à prática do Zen. Gasan era por natureza perspicaz e sensível e, fisicamente, de composição física forte. Ele parecia ser confiável, e Keizan Zenji sentia-se feliz de ter sido abençoado com tal sucessor. Por outro lado, Gasan sentia-se bastante vaidoso sobre a própria inteligência, e Keizan Zenji secretamente planejou , quando chegasse a hora apropriada, fazer algo sobre essa atitude de soberba que apenas "suportava" as pessoas.

Numa noite de inverno com a lua em seu ápice, as montanhas, rios, campos e vilas estavam todos iluminados pelo clarão da lua e apresentava uma cena indescritivelmente linda; de alguma forma a luz parecia até mesmo brilhar através das mentes e corpos. Keizan Zenji, em cujo pensamento repentino, disse "Gasan, você sabia que há duas luas?"

"Não, eu não sei disso, "disse Gasan, completamente mistificado. Enquanto olhava para Gasan, que encontrava em dificuldades para encontrar uma resposta, Keizan Zenji disse em baixa e solene voz, "Se você não souber que há duas luas eu não posso deixá-lo tornar-se a mais alta autoridade para disseminar os ensinamentos Zen da Escola Soto. "Gasan nunca havia ouvido antes tais palavras duras de Keizan Zenji e ficou chocado.

Neste momento, o que passou pela mente de Gasan foi o seguinte incidente histórico que ocorrera durante a dinastia Tang na China, entre um proeminente sacerdote Kyogen e seu mestre, o mestre Zen Isan Reiyu.

"Você é uma pessoa altamente instruída e não há nada que você não saiba, mas eu não tenho necessidade do conhecimento que você adquiriu através de livros. Contudo, eu gostaria de ouvir de suas próprias palavras sobre o tempo anterior que você saísse do ventre de sua mãe, não conhecendo absolutamente nada."

Kyogen respondeu, mas o Mestre Isan não aceitou a resposta dizendo: "Você viu isso com seus olhos, ou ouviu com seus ouvidos, ou isso estava escrito em um livro."

Aparentando estar perturbado, Kyogen requisitou, "Por favor explique isso para mim."

O Mestre Isan respondeu: "Se eu explicar a você, serão minhas palavras, e isso não será de nenhuma relevância para você."

Rejeitado, Kyogen tomou anotações dos livros que ele havia estudado até aquele momento sem descobrir coisa nenhuma. Abalado, Kyogen pensou: "Eu não posso satisfazer minha fome olhando para pinturas de bolinhos de arroz," e então queimou todos seus livros e anotações. "Eu pararei de estudar os ensinamentos budistas. Daqui em diante eu levarei a vida de um monge comum e não mais sujeitarei minha mente a treinamento severo."

Kyogen separou-se de Mestre Isan em lágrimas e subiu no Monte Buto para questionar sobre as ruínas de Nanyo Echu (~775 DC), onde seu mestre havia instalado um eremitério e construído um retiro para si. Ele plantou árvores de bambu e foi absorvido no zazen, considerando aquelas árvores de bambu como seus amigos. Um dia, enquanto ele estava varrendo uma trilha, sua vassoura tocou um pedaço de telha que arrastado atingiu uma árvore de bambu fazendo um barulho de clique. Naquele instante, de maneira repentina, Kyogen iluminou-se. Então, imediatamente limpou-se e purificou-se e queimou um incenso, prestando homenagem ao grande Isan que encontrava-se distante. "Ah, grande Mestre Isan, se você tivesse me dado uma explicação naquele tempo, eu não estaria experimentando esta grande alegria hoje. Mestre, sua gentileza ultrapassa a gentileza de meus pais."

Similar a este fato histórico, em anos mais recentes, era a situação do Mestre Tettsu Gikai, que não pôde receber a transmissão de Dharma do Mestre Dogen devido à sua perspicácia e inteligência.

A partir deste momento, a atitude de Gasan mudou completamente. Ele tornou-se humilde e treinou cuidadosamente com outros monges e praticou zazen arduamente. Sua atitude pomposa desapareceu completamente. Contudo, a nuvem de dúvida em relação às "duas luas" permaneceu não resolvida por seis meses e até um ano após.

Três anos se passaram, e na noite de 23 de Dezembro de 1301, a lua apresentou-se de modo ameaçador e fria. Mestre Keizan viu a figura de Gasan em posição profunda de zazen através da luz da lua e leu sua mente. Ele pôs sua mão próxima ao ouvido de Gasan e estalou seus dedos. Ainda que o som mal fosse audível, para Gasan ele soava como um alto estrondo que extirpou todas as dúvidas que ele teve por três anos.

"Ah, é isso! Eu entendo agora."Gasan claramente entendeu a mente de Mestre Keizan sobre as duas luas.

Dois tipos de luas. Uma é, nem é necessário dizer, a lua que brilha no céu. A outra é a luz que brilha sobre todos os seres através do universo. Isto quer dizer – não importa o quanto alguém saiba sobre a doutrina budista, se ela não é manifestada ou praticada em nossas vidas diárias, isto não é a iluminação verdadeira. Da mesma forma, as palavras de Keizan, " Não posso permitir que você seja uma autoridade em disseminar os ensinamentos Zen," foram duras, mas elas penetraram nas profundezas da mente de Gasan. Isto o capacitou a entender a relação de "um são dois" e "dois são um" e para que fizesse isto uma parte de si.

Quando Gasan absorveu a essência dos ensinamentos de Mestre Keizan a felicidade e inspiração que Gasan sentiu foram tão grandes, que eram impossíveis de serem expressadas por ele.

Após isso, a luz brilhante das duas luas, Mestre Keizan e seu discípulo Gasan tendo tornado-se um, brilharam através do país e começaram a disseminar os ensinamentos juntos. Naquela época, Mestre Keizan estava explicando os obras biográficas dos grandes mestres Zen no passado desde o tempo de Shakyamuni até Ejo, o segundo abade do templo matriz Eiheiji, similarmente ao modo como a luz da lua foi passada. Este é o famoso Denkoroku, que junto ao Shobogenzo do Mestre Dogen, constituem-se nos Dois Tesouros das Escrituras da Escola Soto de Zen.