• messenger
  • Perguntas e Respostas
  • Contactenos
  • Pesquisar
Close

SOTOZEN-NET > Prática > A cozinha no Budismo > Vol. 2: Uma refeição oferecida com calorosa consideração pelos outros

Soto Zen Shojin-ryori Vol. 2: Uma refeição oferecida com calorosa consideração pelos outros

Preparando refeições cuidadosamente com calorosa consideração pelos outros

Preparar as refeições diárias dos monges é uma prática importante do tenzo (cozinheiro do templo). Um outro papel do tenzo é preparar cuidadosamente as refeições para os convidados.

Um cozinheiro principiante pode erradamente acreditar que, para demonstrar consideração pelos convidados, deve preparar muitos pratos ou utilizar ingredientes raros e dispendiosos. Não é necessariamente este o caso com shojin-ryori.

Ainda que só estejam disponíveis os ingredientes básicos e que apenas alguns pratos possam ser preparados, o cozinheiro não deve poupar esforços na preparação da refeição. Se envolver o coração nos seus cozinhados, o seu espírito de hospitalidade será sentido pelos convidados. Por outras palavras, a hospitalidade Zen não é algo que possa ser medido apenas em termos materiais. O aspeto espiritual é muito mais valorizado. Desde há muito tempo, o shojin-ryori foi oralmente transmitido como hospitalidade que não poupa esforços. Uma simples batata nas mãos de tenzo pode ser transformada em algo de preciosa raridade, através dos seus esforços.

Os recipientes da refeição devem também ter a mesma atitude. Eles não devem nem elogiar os ingredientes nem procurar por habilidades culinárias pobres. É importante que eles tenham uma atitude de gratidão por todas as interconexões que encontram-se por trás da refeição.

No Verso da Cinco Contemplações (Gokannoge) recitado antes de uma refeição há o silêncio, "Nós refletimos sobre o esforço que nos proporcionou esta comida e consideramos como ela chegou até nós." Quando refletimos sobre aqueles que plantaram a comida, aqueles que a transportaram, e o tenzo que não mediu esforços em prepará-la para nós, uma pequena vasilha de simples legumes cozidos torna-se repleta com o gosto ilimitado do Darma.

Preparando a refeição com gratidão aos ingredientes

Às vezes temos a oportunidade de preparar uma refeição numa cozinha bastante equipada. Há a possibilidade de fazer uso de ingredientes caros como yuba ou cogumelos matsutake. Em tais ocasiões nós podemos cometer o erro de tratar ingredientes comuns negligentemente ou valorizar ingredientes caros excessivamente.

Contudo, Dogen Zenji escreveu em suas Instruções para o Cozinheiro (Tenzo kyokun), "Não faça nenhuma distinção entre ingredientes caros e aqueles que não sejam caros. Abandonar a visão errada das coisas como sendo grosseiras ou refinadas. É necessário sempre preparar as refeições sinceramente e com a mesma atitude." Para uma pessoa no caminho do Zen, todos os ingredientes têm o mesmo valor intrínseco, e todos são igualmente preciosos. Visto que nós usamos tais ingredientes preciosos, o cozinheiro precisa sempre ser cuidadoso para não desperdiçar nada. Ele não deve deixar que nem mesmo um grão de arroz seja desperdiçado, e nunca jogar fora nenhuma parte comestível dos ingredientes. Ele deve dedicar-se a fazer uso total das preciosas vidas dos ingredientes ao preparar a refeição. Por exemplo, a alga usada para fazer um caldo não deve ser jogada fora de uma forma esbanjadora quando estiver pronta. Ela pode ser reutilizada sendo fervida, ou cuidadosamente preparada e frita profundamente como outro peixe. A casca de cenouras, beringelas, ou rabanetes gigantes podem ser acrescentadas a sopas ou outros pratos. É importante notar que quase nenhum lixo seja produzido na cozinha de um grande tenzo.

Soto Zen Shojin Ryori

Okayu

Soto Zen
Shojin-ryori Vol. 1

Okayu